O PROFANADOR - EDDY VOMIT
"Pensar em demasia é sofrer em constante agonia"
Textos
MEMÓRIAS DE UMA LOLITA!!! (PARTE 1).
 
PRAGA - TCHECOSLOVÁQUIA ANOS 80...
Naquele Natal, o frio era glacial. Papai ouvia seu velho radinho de pilha e mamãe bordava um cachecol para mim. Hoje eu estava feliz, íamos comer batata assada e torta de maçã, pois era Natal e essa data tinha de ser comemorada de qualquer jeito, pois papai era católico fervoroso e adorava o Papa João Paulo II, não perdia uma missa dele pela Tv Estatal. Nossa Tv as vezes não pegava e mamãe colocava Bombril na antena para melhorar o sinal, o único canal que nunca saía do ar era o canal do Estado. Morávamos nos subúrbios de Praga, numa espécie de condomínio popular, chovia muito aqui e o frio era avassalador e as vezes os dutos do gás russo não funcionavam e nós morríamos de frio. Não sei se papai pagou a conta do gás russo, mas sei que as vezes mamãs fervia água para a gente tomar banho (eu adorava tomar banho), pena que era apenas uma vez por semana. Meu irmão mais velho gostava da Tv, ele as vezes via concertos de rock e eu achava "cool", tudo aquilo. Mamãe era fã de Bonnie Tyler e de Cindy Lauper que as vezes tocavam na velha Radio Estatal, a maioria das vezes, a radio só falava de Comunismo e do governo Russo (achava muito chato aquilo).
Papai também gostava de ouvir música, só que a música dele era clássica, ele dizia que Bach foi o melhor musicista de todos os tempos e todos concordavam com ele apesar de não sabermos quem era esse tal de Bach. Naquele Natal papai montou nossa velha Árvore de Natal, ela se parecia com um grande pinheiro e tinha uma luzinhas coloridas que piscavam o tempo todo (isso quando mamãe deixava ligar). Como eu ia dizendo, além de batatas assadas e torta de maça, papai também comprou um enorme presunto defumado e umas fatias de pão. Hoje seria uma dia feliz para nós, pois essa época andava muito tensa aqui em Praga. Muitos manifestantes queriam derrubar o governo comunista e este reagia com muita violência, muitos eram presos e até mortos. Meu irmão mais velho contou certa vez que viu um homem reclamando de Presidente no meio do mercado, e então os guardas bateram nele com cassetetes e mandaram-no calar a boca porque senão ele iria ser preso. Mas naquela gelada noite de Natal, tudo parecia normal.
Nosso velho Radio de pilhas estava à todo vapor e naquele dia, a Radio Estatal tinha liberado umas músicas até que legais (claro que o Hino da URSS foi tocado), e então eu ouvi uma música que nunca mais iria esquecer. A música se chamava Babuska e era da Kate Bush, no refrão ela cantava: "Babooska - Babooska yaya" e eu fiquei repetindo aquele refrão muitas vezes e meus pais acharão muita graça. E foi daquele dia em diante que começaram a me chamar de "A pequena Babuska", eu adorei o apelido! Acho que tinha uns 7 anos naquela época, bons tempos aqueles. Saudades de minha família!
A ceia natalina ocorreu normalmente, papai como sempre acendeu seu cachimbo e começou a falar de religião nós apenas ouvíamos ele falar e fingíamos gostar daquele assunto chato. Mamãe as vezes pedia para ele parar, mas papai era teimoso, pior ainda quando tomava uns goles. Naquela noite ele tinha tomado esse goles, pois era Natal e ele achava que podia exagerar. Falou mais do que de costume e quando mamãe pediu para ele abaixar a voz e gritou com ela: - CALA A BOCA - EU SOU O CHEFE AQUI!, mamãe pareceu ter lágrimas nos olhos e meu irmão fechou a cara e eu nada entendia. Terminado a ceia fomos dormi com os estômagos cheios de presunto rs, eu e meu irmão tomamos uma jarra de suco de uva que mamãe fez e papai ficou na sala ouvindo seu "Radio GAGA" e tomando alguma coisa na boca da garrafa. Mamãe também foi se deitar e pediu que rezássemos a "Ave Maria", dito e feito, após a reza fomos dormir e eu sonhei com um monte de cavalos alados e anjinhos no céu de nosso senhor...
Eddy Vomit
Enviado por Eddy Vomit em 31/05/2021
Comentários