O PROFANADOR - EDDY VOMIT
"Pensar em demasia é sofrer em constante agonia"
Textos
A PUNK - O PADRE E A PROSTITUTA (XI PARTE DA SAGA PRISCILLIANA).


          O ambiente escuro e luxuriante do calabouço da igreja gótica na qual Priscilla se encontrava, excitava até o mais frio dos leitores. A prostituta acabara de acorda sobre um holocausto, ela estava nua e amarrada nas mão e nos pés e sua memória começou a relembrar do forte golpe que recebera na cabeça quando espiava os muros da tal igreja e ela se desesperou ao  lembrar daquela voz longinqua que a ameaçava diretamente. Sua consciência foi recobrada totalmente ao ouvir novamente a voz ameaçadora:

     - Ola Priscilla, tudo bem? Gostou da nossa transa? Talvez você nem se lembre pois eu te droguei com ópio e você apagou, mas para mim foi magnânimo te penetrar e gozar dentro de você e espero que você engravide de mim sua puta safada.

      - Vou arrancar sua cabeça seu fdp! Quêm é você? Por acaso é um dos capangas de Fonsequinha aquele bastardo?

      - Mais ou menos, sou o padre Samael, e tomo conta  desta igreja á séculos e também  faço uns servicinhos por fora da realidade, tudo para agradar o senhor Jesus Cristo!

    - Como ousas blasfemar o nome Dele em vão?

     - E quêm tu pensas que é para saber dos designos divinos? Sou uma arcanjo e vim para esta terra para despoluí-la de insetos como você!

      - Você conhece meu pai?

      - Bastião? Aquele alcoolotra e pedófilo? Sim eu o conheço muito bem e sei que ele esta feliz por saber que sua filhinha querida irá morrer hoje!

       - O que você receberá em troca? Grana? Drogas?

        - Eu receberei a benção do senhor!

        - Seu louco tarado, o que você está pensando que é? Um arcanjo? Faz-me rir seu bosta!

         - Sou a verdade o caminho e a vida! Vou lhe dar um espetáculo gratuíto antes de executa-la para meus senhores!  Minhas adoráveis freiras irmã Vanessa e irmã Ingrid queiram entrar por favor.


          E o que seguiu aos olhos de Priscilla foi uma verdadeira orgia demoniáca, as duas belas mulheres chegaram nuas e ficaram de 4 enquanto o padre as penetrava simultâneamente revezando ora na vagina e ora no anûs e depois de 15 minutos de penetraçao, o eclesiástico ejaculou na cara das freiras que sorveram todo o esperma chegando ao ponto de lamber o imundo chão do calabouço onde Priscilla contemplava tudo com certo esgar, mas ao mesmo tempo com uma dose de excitação e ironia, pois para ela aquele showzinho amador nada significava para ela pois nossa anti-heroína já tinha feito coisas bem piores e foi então que o padre ordenou que as duas freiras se deitassem sobre a mesa de sacríficios ao lada de Priscilla, Vanessa a loira ficou de costas exibindo seus pelos pubianos aloirados e Ingrid a negra ficou de bruços exibindo seu belo traseiro arrebitado e neste conjunto de 3 beldades nuas, o padre trouxe um bode preto e com um punhal o sangrou no pescoço arrancando sua cabeça com violentas facadas, o sangue caprino inundou as 3 moças que se sentiam sufocadas pois elas sem querer acabavam bebendo o sangue do bode preto. Quase que em transe, o padre começou a rezar antigas maldições e Priscilla entendeu quando ele gritou:

      - Bafomé meu senhor e senhor dos templários, eu te invoco junto com Lâmia e Alaster os carrascos do inferno!

        De repente as duas irmãs começaram a gemer de prazer e uma materialização hedionda se fez diante dos olhos incrédulos de Priscilla, um ser metade homem e metade bode com um machado na mão se aproximou das freiras e as golpeou com a arma estraçalhando os dois belos corpos que em questão de segundos ficaram espalhados por sobre o chão imundo da igreja macabra. O ser imundo berrou feito um bode e o padre em total êstase começou a se masturbar freneticamente perto de Priscilla que revoltada nada podia fazer a não ser comtemplar essa danação demoníaca, passado alguns segundos o demônio desapareceu e o padre agora nu e com uma mascara de bode começou a dançar uma espécie de transe satânico e a proferir um idioma antíguissimo, ele se voltou para os desposjos da freiras e começou a urinar e a berrar feito um bode em cima deles. Priscilla com nojo e ódio só pensava em se libertar daquela trama dantesca e foi quando o inacreditável aconteceu, as duas moribundas foram se aglutinando pelo chão aspero e em questão de minutos seus corpos se regeneraram perfeitamente, só que suas almas exalam a miséria da morte infernal e então o padre Samael em júbilo gritou:

     - Você viu  sua puta? Eu sou agora o senhor da vida e da morte e ninguém vai me impedir!

        Neste exato momento um tiro é disparado e o padre feiticeiro tomba sem saber o porquê e ao comtemplar no alto de uma janela, ele vê uma menina loira gritar para Priscilla:

         - Olá Pris! Vi que você estava demorando e resolvi checar o que tinha ocorrido e fiquei chocada com este demÔnio e nem acreditei no que vi quando vi aquelas duas vadias se regenerarem por completo!
Pegue este punhal e se livre das cordas meu anjo salvador!

       Priscilla com destreza felina apanhou o punhal prateado e cortou as cordas que a prendiam no holocausto e nem bem ela conseguiu se levantar, as duas mortas-vivas caíram para cima dela com violência demôniaca, a luta foi brutal, Priscilla com o punhal conseguiu cortar a garganta de uma delas e um sangue preto e fedido jorrou de suas entranhas e então a freira sorriu e disse em tom cavernoso:

      - Como ousas tentar nos matar? Não se mata o que já morreu, sua imbecil! - Ao dizer isso a infeliz desferiu um portentoso golpe que derrubou Priscilla ao chão e nesse interím, ela viu o fanático padre apanhar Nina e tentar violenta-la arrancando seu vestido preto, a menina tentava lutar com todas as suas forças mas era inútil resistir ao poder profano de Samael,  os olhos dele pareciam arder em chamas infernais, então tudo parecia perdido quando uma voz onipotente disse:

     - BASTA CÃES DO INFERNO! VOLTEM PARA SEUS TÚMULOS E DEIXEM ESSES ESPIRÍTOS EM PAZ! - Então um forte clarão apareceu seguidos de gritos de dor e espanto. Priscilla e Nina caíram num total sono mediúnico e quando deram por si, estavam dentro do vectra de Priscilla deitadas como que  dormindo.

         Priscilla olhou para todos os lados e não viu igreja nenhuma e nem sinal do padre ou das freiras diabólicas. Assustadas as duas se olharam como se tivessem tido o mesmo sonho e no final caíram na gargalhada por estarem salvas e agradeceram a voz divina que as tiraram daquele inferno. Remexendo no carro, Priscilla encontrou um envelope azul e ao abri-lo ela leu o seguinte recado:

      - Minhas filhas, o que vos presenciantes, não foi apenas um sonho, tudo gira entre o aqui e o por vir, as duas dimensões se intercalam e se interferem mutuamente, por isso minhas filhas tomem mais cuidado com suas curiosidades, pois na próxima vez eu posso não estar perto para ajuda-las!

        Nina em tom de curiosidade adolescente disse:

      - Pris, será que somos mensageiras do senhor? Será que nossa luta também é espiritual?

       - Não sei Nina, só sei que o caminho para minhas respostas é longo e bastante árduo e sei que ainda passaremos por muito obstáculos antes dela chegar!

        - Pris, penso que nosso destino será cruel!

        - Talvez! Mas faremos o que for preciso para cumpri-lo e por isso Brasília let's go!!!!!!!

         E o vectra seguiu seu rumo na esperança de novas aventuras e as duas aventureiras pensavam  nas incertezas do que era real ou  ilusório neste mundo de meu Deus! Como sempre o som ecoava a decibéis e o que rolava aquela altura era:

                     AS VEZES TENHO MEDO!
                     AS VEZES SINTO MINHAS MÃOS,
                    PRESAS PELO AR, POIS QUANDO EU OLHO EM VOLTA
                    VEJO UMA MULTIDÃO!
                    PRESA PELO AR!
                                                                COLERA ( MEDO)
  
Eddy Vomit
Enviado por Eddy Vomit em 26/01/2010
Comentários