O PROFANADOR - EDDY VOMIT
"Pensar em demasia é sofrer em constante agonia"
Textos
A PROSTITUTA SANGRENTA RETORNA AS SUAS ORIGENS! ( PRISCILLA DESAJU)


      Caros leitores da epopéia sangrenta de nossa amada puta Priscilla,começaremos a ler uma nova fase de suas aventuras em sua busca pelas verdades, ela  se tornará ainda mais demoníaca e  por isso preferi coloca-la nos rituais terríficos de literatura, pois não sou eu quêm a comanda e sim é ela que por aqui dita suas ordens.

   RUMO A BRASÍLIA

        A patrulinha recém furtada ia cortando o asfalto a 150 por hora e Priscilla como que super excitada, de vez em quando esfregava seu dedinho no grelinho ensopado de suor só para relaxar. Ramones ecoava firme no cd player e nossa heroína apertava o pedal para logo chegar a Brasília afim de  resolver suas pendências com o famigerado filho do deputado. Maldito Fonsequinha, além de persegui-la, matou sua amante Rafaela e a obrigou a pobre coitada a traí-la pela propria vidinha miserável que a infeliz tanto prezava. O puto também traiu Rafa e a matou, por isso nossa amiga prostituta iria acertar suas contas no planato central. A patrulinha voava baixo quando na altura da via-dutra km 66 às 3 da matina, uma blitz ordenou que Priscilla parasse para uma possível averiguação e  é claro que ela jamais pararia e apertou o acelerador com tudo rompendo a barreira policial e atropelando um moribundo soldado que a esta hora já se encontrava estraçalhado na pista. A perseguição continuou pela via-dutra e tiros foram disparados pelos pms que apertavam o gatilho a esmo e nem se importavam com os infelizes que naquela madrugada pudessem estar na alça de tiro, inclusive uma saveiro fora atingida e a pobre família jogada barranco abaixo. No dia seguinte apareceria nos jornais como simples estatística de acidentes de trânsito. Priscilla era exímia motorista, ela aprendera a pilotar carros possantes como BMWs E FERRARIS que faziam parte da coleção de autos de um milionário brasiliense que a contratara para umas férias sexuais em Cancum e no Haiti, sim Priscilla as vezes era  uma puta de luxo e  acompanhava executivos pelo mundo, pois sua educação e cultura impar, sempre impressionavam tais calhordas que geralmente se apaixonavam por ela e a cobriam de jóias, mas agora sua vida mudou e no atual presente, tiros e perseguições é que lhe faziam as oferendas. Depois de horas de tiroteio e perseguição, Priscilla resolveu estacionar o carro atraz de um outdoor e ficou esperando os policiais que a perseguiam e tinham perdido seu rastro no km 200 da dutra e nossa amiga aproveitou o lance para mata-los na surpresa.

              Dois carros param logo em frente ao outdoor e encontraram a patrulinha abandonada, surpresos com a agilidade felina da puta, os PMS nem notaram a aproximação de Priscilla que armada com um fuzil AR-15 encontrado no porta-malas do carro que ela robou, começou a abrir fogo contra os 10 infelizes que nem tiveram tempo de reagir, um deles teve os miolos espalhados pelo asfalto, outro teve a perna arrancada e um terceiro teve as tripas espalhadas pela grama do acostamento, depois de 10 minutos de luta, apenas um deles agonizava por traz da patrulinha ferido no abdomên e Priscilla se aproximou do moribundo  e disse:

     - Quêm mandou me seguir, vocês não sabem que sou protegida por forças que vocês desconhecem? Vou lhe dar um presentinho, abra a porra da boca seu merda. - disse a puta apontando o fuzil na cara do infeliz que obedeceu sem pestanejar.

      Então Priscilla tirou sua calcinha e de cócoras urinou na boca do PM que vomitava golfadas de sangue:

         - Bebe meu mijo se fdp!!!

       O policial obedeceu e quase chorando começou a rezar e jurou ter visto sombras escuras ao seu redor, e então nossa heroína disse em tom sarcástico:

          - Agora tu vais encontrar com os seus patrões verdadeiros no umbral de onde viestes!

        Apenas um golpe na jugular com afiado punhal e o moribundo escancarou seus olhos perdidos na madrugada sombria. Priscilla se levantou, limpou a lâmina e entrou no carro que agora estava recheado de armas e dinheiro que os policiais haviam roubado nas blitzs, num verdadeiro arrastão a la justiça tupiniquin. Priscilla também achou uma garrafa de black label e começou a beber loucamente e foi então que sua voz amiga apareceu do nada e lhe disse:

         - Belo trabalho minha filha, agora vá e cumpra seu destino em Brasília que no término desta empreitada, eu me mostrarei a ti e tudo será resolvido. - Ao dizer isto a voz desapareceu com que por encanto e Priscilla já ao volante ficava se perguntando se aquilo foi ou não real e se na verdade tudo que lhe acontecera até então existiu ou não. O som de Sex Pistols ecoava a decibéis de altura e nossa heroína se masturbando rumava para sua mais perigosa aventura............


  Mas isso curiosos leitores é uma outra estória........
Eddy Vomit
Enviado por Eddy Vomit em 08/01/2010
Comentários